Usuários pedem paradas

Além dos inúmeros problemas apontados pela população pelo atraso dos ônibus em Campina Grande, a ausência de paradas de ônibus adequadas, principalmente nos bairros periféricos da cidade, causa transtorno em época de chuva como atualmente, ou no verão com sol forte.

Segundo o presidente do Sindicato dos Condutores de Veículos Rodoviários e Trabalhadores em Transporte Urbano de Passageiros, Antonino Macedo, muitas pessoas que necessitam do transporte público sofrem com a falta de pontos de apoio adequados e precisam ficar ao relento esperando o ônibus.

Antonino Macedo afirmou que apenas no centro da cidade é possível encontrar um número maior de paradas de ônibus cobertas e com assentos, mas quando vai para bairros mais distantes, a situação se complica quando o passageiro precisa ficar em pé no sol ou na chuva esperando, muitas vezes em uma calçada sem proteção, pelo transporte.

A gerente de Transporte da STTP, Araci Brasil, informou que a grande dificuldade do órgão é em relação à largura das calçadas, que tem entre 1,80 a dois metros, pois para instalar um abrigo de ônibus coberto é necessário deixar espaço para os pedestres e cadeirantes. “Desde o ano passado, estamos instalando uma média de 40 novos abrigos, entre eles piquetes. Mas também estamos fazendo um estudo para relocação, pois é difícil encontrar calçadas com largura adequada”, ressaltou.

A estudante Virna Lins, 23 anos, que mora nas Malvinas e diariamente se desloca até Bodocongó, onde faz faculdade, disse que a parada de ônibus onde ela espera todas as manhãs é apenas um piquete de concreto. “Quando chove ou está fazendo sol forte, ficamos na rua nos protegendo como podemos, à espera do ônibus. É preciso uma atenção maior e mais pontos de apoio adequados em todos os bairros”, ressaltou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *