Sem categoria

Beleza do parque impressiona turista

No início do século 20, e antes mesmo de ter esse nome, a Lagoa do Parque Solon de Lucena era parte de um sítio pertencente aos jesuítas. Na época, ela era conhecida como Lagoa dos Irerês, por causa do grande número de marrecos que havia em suas águas. No mesmo local, funcionou posteriormente o Engenho da Lagoa.

Só por volta de 1922, a Lagoa foi transformada em parque público. Foi durante a administração do governador Solon de Lucena e do prefeito Walfredo Guedes Pereira. A partir daí, surgiu a denominação Parque Solon de Lucena, como uma homenagem ao governador da época.

Os jardins do parque são obras do arquiteto-paisagista Burle Marx, responsável também por obras como os jardins do Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro; o paisagismo do Eixo Monumental, em Brasília; e do Parque do Ibirapuera, em São Paulo.

A marca registrada do local é o colar de palmeiras imperiais plantado ao redor de toda a lagoa. Destacam-se também os ipês amarelos, que encantam a população sempre que florescem, geralmente entre setembro e novembro.
Outra coisa que chama a atenção do público é a fonte luminosa localizada no meio da lagoa. As luzes costumam mudar de cor de acordo com as datas comemorativas, assim como a decoração ao redor e a música que é emitida através de caixas de som instaladas em postes do local.

Sem categoria

Cinturão protege contra os esgotos clandestinos

Essa é apenas uma parte da primeira etapa do projeto, que no total terá investimentos de mais de R$30 milhões. Ainda nesta fase, será construída, no entorno da Lagoa, uma nova parede de contenção para aumentar a resistência contra as águas das chuvas.

Também será construído um cinturão de proteção sanitária, que é uma tubulação para interceptar possíveis lançamentos de esgotos clandestinos. Com isso, a Lagoa passará a receber apenas a água das chuvas.

Além disso, um túnel será construído para escoar o excesso de água da Lagoa para o Rio Sanhauá. Para a construção do túnel, será usado um “método não destrutivo”. A obra será executada no subsolo, processo semelhante ao utilizado na construção de linhas de metrôs subterrâneos.

Dessa forma, a construção minimiza os transtornos causados à população, e não impede o tráfego de veículos. Vale destacar que esta será a primeira obra construída em João Pessoa através desse método, que reduz o impacto das obras na rotina da população.

Esse primeiro momento da reforma já foi licitado, e contará com investimentos de mais de R$ 20 milhões. As obras dessa fase serão concluídas em aproximadamente 12 meses, e só devem acabar, portanto, em 2015.

A segunda etapa do projeto será licitada até o final de junho, para que as obras sejam iniciadas em agosto. Nesta fase será desenvolvido o plano de urbanização da Lagoa, que será transformada em um parque com opções de esporte, lazer, cultura e artes.

O objetivo é transformar o espaço em uma opção de entretenimento para melhorar a qualidade de vida da população. Para isso, a prefeitura também investirá em iluminação e segurança de alto padrão.

A PMJP vai construir uma central de monitoramento no Parque Solon de Lucena, dotada de câmeras, posto de polícia, base para a Guarda Municipal e banheiros públicos para os cidadãos.

Sem categoria

Lagoa terá solução definitiva

Uma opção de lazer, descanso e contemplação da natureza. Assim será o Parque Solon de Lucena depois da revitalização planejada pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP). O projeto vem sendo trabalhado desde março de 2013 pela Secretaria de Planejamento do município (Seplan). A previsão é de que a obra seja concluída até o final da gestão.
O Parque será reflorestado e terá opções de esportes e cultura, como quadra de tênis, esportes náuticos, ciclovias, minicampos, quadras esportivas e playgrounds. Ainda terá a implantação de memoriais dos grandes vultos da cultura paraibana. Para que haja espaço para tudo isso, o anel interno da Lagoa será extinto. O trânsito de veículos só ocorrerá pelo anel externo.

O último projeto desse porte que foi elaborado para o local foi feito pelo engenheiro Saturnino de Brito em 1924, e só foi executado na década de 30. São mais de 70 anos sem nenhuma intervenção significativa para o maior cartão postal da cidade. Pensando nisso, a PMJP resolveu apresentar uma solução definitiva para a área.

A elaboração e execução de um projeto estruturante para a Lagoa foi uma determinação da prefeitura ainda no início da gestão. O projeto conta com a participação das secretarias de Planejamento (Seplan), Meio Ambiente (Semam), Infraestrutura (Seinfra) e Desenvolvimento Urbano (Sedurb).

Para a Seplan, a Lagoa do Parque Solon de Lucena é uma das maiores referências da cidade e tem um valor inestimável para os pessoenses.

Para a PMJP, além de oferecer um belo parque à população, o projeto também dará a oportunidade de resolver alguns problemas históricos, como é o caso das enchentes. Tornou-se comum a Lagoa transbordar em dias de chuva, o que atrapalha o trânsito e a circulação de pedestres, além de possibilitar a proliferação de doenças.

Para evitar que o problema das enchentes continue, foram iniciadas no mês passado as obras de desassoreamento da Lagoa, processo que consiste na retirada de resíduos sólidos alojados no fundo. Este trabalho deverá durar cerca de 90 dias. O material removido neste processo será reaproveitado na revitalização do antigo lixão do Róger.

Sem categoria

44 novas creches, a meta da gestão

A PMJP também está construindo mais onze creches no Bairro das Indústrias, Conjunto dos Radialistas (Geisel), Cuiá, Geisel, José Américo (Colibris), Mangabeira II, Mangabeira VII, Mangabeira VIII, Mumbaba III, Nova Mangabeira e Vale das Palmeiras. Dessas, oito são de alvenaria e três de PVC concretado.

Outras 32 creches usando o sistema de Metodologias Inovadoras serão construídas, totalizando 44 novas creches que deverão ser entregues à população pela PMJP até o final da gestão. A previsão é de duas inaugurações de creches por mês a partir de junho.

Para aumentar o número de vagas nos berçários, foram inauguradas oito novas turmas de berçário para a capital. Foram criadas 200 novas vagas e a capacidade de acolhimento dos Creis foi aumentada. A ação contou com investimentos de R$ 800 mil ao ano.

Cada turma de berçário conta com uma professora, berçaristas, lactaristas, lavadeiras e auxiliares de serviços. Os bebês recebem cuidados e atendimento pedagógico de profissionais treinados.

Além disso, ainda no primeiro mês dessa gestão, a PMJP celebrou um termo de ajustamento de conduta com o Ministério Público da Paraíba que garantiu a transferência das 29 creches estaduais localizadas na capital para a prefeitura. Em 2013 a PMJP recebeu onze creches. E já em janeiro deste ano recebeu as outras 18 creches restantes.

Sem categoria

Crei do Colinas do Sul é pioneiro em uso de PVC concretado no NE

A obra contou com um investimento de R$1,6 milhão para construção e acabamento e outros R$94 mil foram destinados à compra de equipamentos e mobília. Os recursos fazem parte do Plano de Ações Articuladas (PAR) e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) do governo federal, em parceria com o governo municipal.

A unidade conta com uma área de 2.800 metros quadrados. Esta é a primeira creche no Norte/Nordeste brasileiro construída com estrutura de PVC concretado, gerada por um novo sistema chamado de Metodologias Inovadoras (MI).
O sistema, além de evitar desperdício de materiais, mantém o canteiro de obras mais limpo e possibilita uma construção bem mais rápida. Depois que o terreno é totalmente aplainado, são poucos meses até a obra ficar pronta. A qualidade é similar ou até mesmo superior à de uma obra de alvenaria.

O Crei Socorro Rodrigues demorou apenas seis meses para ser construído, enquanto uma estrutura semelhante, feita de alvenaria, demoraria em média um ano e cinco meses para ficar pronta.

Na unidade, foram instaladas 16 câmeras de monitoramento, além de sensores de presença, central de monitoramento com transmissão de dados via telefônica, GPRS, internet e uma TV de 32 polegadas para acompanhamento das imagens. Haverá também uma equipe de segurança motorizada no entorno do local. O mesmo sistema de segurança está sendo implantado nas 170 unidades de educação do município.

As câmeras estão sendo instaladas em espaços de uso comum como a entrada de cada unidade de ensino, corredores, cozinha, pátio, ginásio e secretaria. Além disso, foi contratada uma empresa especializada para a manutenção dos equipamentos, que irão funcionar 24 horas por dia, todos os dias da semana.

O conforto das crianças também está garantido, uma vez que todas as salas da creche são climatizadas. O projeto de ampliação e reforma das escolas também prevê a climatização de todas as escolas da rede municipal até o final da gestão.

Os Creis anunciados pela prefeitura são divididos em tipo B e tipo C. O Crei Socorro Rodrigues é do tipo B. As creches do tipo B contam com playground, recepção, secretaria, diretoria, sala dos professores, almoxarifado, banheiros, oito salas de aula, uma sala de informática, pátio coberto, pátio descoberto, cozinha, despensa, copa, caixa d’água, lactário, lavanderia e estacionamento. A estrutura possui ainda salas do servidor, de telefonia, elétrica e de multiuso.

Já os do tipo C contam com anfiteatro, playground, administração, almoxarifado, sala dos professores, quatro salas de aula, sanitários, creches, solário, repouso, fraldário, pátio coberto, refeitório, multiuso, copa, lactário, vestiários, lavanderia, despensa, cozinha e caixa d’água.

Sem categoria

Um novo conceito de creche

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), através da Secretaria de Educação e Cultura (Sedec), inaugurou na última quarta-feira o primeiro equipamento social do bairro Colinas do Sul. O Centro de Referência de Educação Infantil (Crei) Socorro Rodrigues beneficiará 120 crianças entre seis meses e cinco anos de idade.

São 40 vagas de berçário, destinadas a crianças de seis meses até um ano e 11 meses, e mais 80 vagas para crianças de dois a cinco anos. O serviço funcionará 10 horas por dia. A criança pode ser deixada na creche a partir das 7h e os pais ou responsáveis devem buscá-la às 17h, de segunda a sexta.

Durante esse período, a criança passa pela rotina da creche, que conta com cinco alimentações, higiene e descanso, além de atividades pedagógicas e recreativas. Para efetuar a matrícula, os interessados devem procurar o Crei.
Para a Sedec, o novo Crei é importante porque vai atender uma comunidade carente, e que até então não contava com nenhum aparelho social, deficiência que foi detectada pela atual gestão. Dentro da parte social, a creche vai atender as famílias que necessitam de apoio para poder trabalhar e deixar as crianças em condições de segurança e aprendizado, tudo em alto padrão de qualidade.

De acordo com a prefeitura, a intenção é conseguir aumentar o número de vagas para crianças, garantir qualidade na educação infantil, e ainda fazer com que as mães tenham tranquilidade e segurança para trabalhar, sabendo que seu filho está sendo bem cuidado numa creche com padrão modelar.

Para a Sedec, os investimentos em educação infantil significam, no futuro, reduzir a evasão escolar, reduzir o índice de repetência e melhorar o desempenho do aluno. A secretaria garante que investimentos pesados estão sendo feitos agora para obter resultados mais promissores no futuro.

Além de beneficiar as crianças e as famílias, a creche vai gerar 39 empregos diretos para berçaristas, lavadeiras, professores, monitores, cozinheiros, auxiliar de serviços, vigilante, técnico em pedagogia e auxiliar de secretaria.

Sem categoria

Faixas só para os ônibus

Ainda este ano, as tão divulgadas obras do PAC da Mobilidade Urbana serão iniciadas e representarão uma mudança radical na forma de deslocamento dentro da cidade.

Serão cinco corredores com faixas exclusivas para ônibus (Cruz das Armas, 2 de Fevereiro, Pedro II, Epitácio Pessoa e Tancredo Neves) e cinco novos terminais de integração que proporcionarão menor tempo de viagem, menor tempo de espera, pontualidade e conforto aos usuários dos transportes públicos, que passarão a ter prioridade no uso do sistema viário. Os investimentos serão da ordem de R$ 233 milhões.

Em março de 2014, a presidente Dilma Rousseff anunciou um pacote de investimentos de mais de meio bilhão que serão aplicados na área de transportes e trânsito em João Pessoa. Os projetos da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), apresentados para avaliação da União, foram todos elaborados pela Semob.

Sem categoria

Mais espaço para ciclistas

Foi elaborado um plano cicloviário para João Pessoa. A ciclofaixa da orla, de Tambaú a Cabo Branco, foi transformada em ciclovia, com a construção de canteiro para delimitar o espaço do ciclista. A cidade conta hoje com 49,961km de ciclovias. Os planos são de superar os 100km de extensão.

Dentro da política de melhorar a mobilidade urbana e dar mais qualidade ao serviço de transporte público, a população ganhou 61 ônibus novos e 18 seminovos. A frota atual de ônibus é de 556, dos quais, 275 são adaptados (ônibus eficientes).

Para dar mais fluidez ao trânsito, foi modificada a circulação no entorno do viaduto do Cristo Redentor e foram implantados binários no Bairro dos Ipês, Brisamar, Bessa e Jardim Cidade Universitária. Além disso, a avenida Epitácio Pessoa passou a ter três faixas de tráfego entre as avenidas Marcionila da Conceição (Cabo Branco) e Ruy Carneiro.

Sem categoria

Monitoramento ampliado

Além de uma equipe de cerca de 170 pessoas trabalhando na fiscalização, atualmente a Semob possui um total de 68 câmeras de monitoramento de trânsito, e está prevista a instalação de mais onze para este semestre.

Para dar mais segurança aos condutores e pedestres, a Semob adquiriu novo modelo de fiscalização eletrônica de velocidade, passando de 28 equipamentos, que monitoravam 57 faixas de rolamento, a 35 equipamentos monitorando 71 faixas. Foram instalados novos controladores de velocidade em seis avenidas da capital.

Sem categoria

Mais segurança para o trânsito

A Superintendência de Mobilidade Urbana de João Pessoa (Semob) acredita na educação dos motoristas para um trânsito melhor. As ações desenvolvidas pelo órgão nos primeiros 500 dias da atual gestão municipal são um reflexo disso.

A campanha “Eu quero Paz no Trânsito” tem como objetivo disseminar na população a mudança de comportamento em busca de um trânsito mais seguro e humanizado. Dentro desse conceito, a Semob vem abordando diversos temas como ‘Eu Quero Paz no Trânsito – não misture álcool e direção’ e ‘Eu Quero Paz no Trânsito – respeite os limites de velocidade’.

Além disso, a Semob também lançou as campanhas ‘Nunca feche o cruzamento’ e ‘Respeito à faixa de pedestre’. Fruto de uma parceria entre a superintendência e a Secretaria de Educação e Cultura de João Pessoa (Sedec), o seminário ‘Mobilizando a escola para o trânsito’ qualificou os professores da rede municipal para que eles transmitissem aos alunos o conhecimento sobre as leis e as regras do trânsito.